Racismo: Realidade ou ilusão? [Baseado no filme "As Serviçais"]

by - quarta-feira, junho 22, 2016

Olá! Esta semana estive a ver alguns filmes. Um deles já estava para ver à algum tempo mas nunca tinha ganho coragem para o ver.
Este filme tem uma mensagem forte e muito importante principalmente durante estes dias em que os direitos humanos estão a ser descuidados.

| As serviçais |



A história baseia-se no pós guerra colonial. Nesta altura as pessoas de cor não tinham direitos e os seus trabalhos eram essencialmente aqueles que os brancos não queriam e os mais baixos possíveis, como por exemplo empregadas domésticas na casa dos brancos.
Havia um certo distanciamento entre brancos e negros. Eles tinham a sua zona onde podiam viver (longe dos brancos), quem trabalhava em casa dos brancos teriam de ter uma casa de banho própria e, para piorar a situação, não era bem pagas. 
Podem estar a pensar: "isso foi antigamente, hoje as coisas mudaram." Sim, até certo ponto mudaram. Mas será que esta discriminação mudou ou acentuou-se?
Vamos analisar o caso: Quantas vezes por dia ouvimos a palavra pretos como forma depreciativa? Sim, as pessoas de cor (algumas) não se importam que assim os chamemos, mas de forma depreciativa? E se nos chamassem aqueles brancos? Não nos iríamos sentir mal? Não íamos achar uma atitude desrespeitadora à nossa pessoa? Afinal somos humanos ou não?

Faz sentido uma pessoa ser criticada devido à sua cor de pele? Alguma vez a cor de pele define a personalidade, inteligência, capacidade de comunicação de uma pessoa?
Acho que as pessoas não percebem a situação em que se colocam em questionar esses pontos por uma pessoa ser de cor.
Este filme abriu-me os olhos para uma questão que conhecia, mas colocou-me noutra perspectiva. Fez-me por no lugar da outra pessoa. Para quem não sabe sou açoriana e uma das coisas que acontece é afirmarem que vivemos no fim do mundo e apartados de tudo e de todos.
Apesar de ser uma questão diferente em relação à cor de pele acham que gosto de ouvir isso sobre o sitio onde moro? Não gosto, até porque muitas das pessoas que criticam não sabem quantas ilhas o meu arquipélago tem. Mas não são estes comentários que me fazem ser uma pessoa menos boa das que vivem em Portugal Continental. Vamos comparar agora com as pessoas de outra cor de pele. Muitos não conhecem as pessoas, não sabem a sua história o que passaram. Mas isso não vai fazer com que elas sejam menos que nós. São pessoas, humanos e têm direitos. E têm o direito a serem felizes. Quem somos nós para lhes tirar esse direito?

Cada vez mais as pessoas pensam no seu umbigo e no que querem para a sua vida e esquecem-se que a nossa liberdade acaba quando a do outro começa. Estarmos de forma depreciativa a falar, tratar e cuidar de pessoas seja de raça, cor de pele, nacionalidade, religião diferente estamos a desrespeitar a liberdade e a felicidade do outro.
Da próxima vez que chamares alguém de forma depreciativa por causa da sua cor de pele, pensa duas vezes.



Deixo-vos aqui o trailer do filme. Tirem um tempinho e vejam este filme vale muito apena!



Espero que tenham gostado!


XOXO

You May Also Like

0 comentários

Parceria